Descrição: A meados do século XXI, a Aglomeração Urbana do Sul (AUSUL), localizada no Rio Grande do Sul passa, de região deprimida e desindustrializada, a ser palco de grandes investimentos públicos e privados, através do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e da reorganização da indústria naval brasileira que provocam uma mudança no mercado de trabalho, com demandas importantes para todos os setores da economia, particularmente setores da indústria de transformação, metalurgia e construção civil. Setores marcados pela segregação ocupacional por sexo e por cor. Assim, indagamos sobre o que significa esta nova conjuntura econômica para grupos ainda discriminados no mercado de trabalho urbano, como as mulheres e, particularmente, as mulheres negras? Grandes investimentos econômicos podem diminuir ou mesmo eliminar as desigualdades sociais e econômicas oriundas de relações de poder marcadamente machistas e racistas?A pesquisa tem como meta desenvolver propostas de ações afirmativas para dirimir as discriminações e as desigualdades socioeconômicas sofridas pelas trabalhadoras da AUSUL a partir da sua inserção em postos de trabalhos formais e melhor remunerados. A metodologia da pesquisa prevê dois momentos: 1) um diagnóstico quantitativo e qualitativo sobre o mundo do trabalho urbano, remunerado e formal, considerando as relações de gênero e as abordagens feministas, em suas interseccionalidades com classe social, geração e raça/etnia; 2) a elaboração de propostas de ações afirmativas fundamentadas no diagnóstico, considerando a participação dos múltiplos agentes envolvidos...


Período: 2013 - Atual
Integrantes: Susana Veleda da Silva - Coordenador / Solismar Fraga Martins - Integrante / Luciano Marin Lucas - Integrante /  Marcus Vinicius Spolle - Integrante / Paulo Ricardo Salati de Souza - Integrante / Adriana Lessa - Integrante / Solismar Fraga Martins - Integr - Integrante.