Descrição: Este projeto visa investigar a construção social da masculinidade contemporânea na região sul do estado do Rio Grande do Sul, em suas interfaces com os marcadores de raça e classe social, a partir da pesquisa de dois espaços sociais: o Café Aquários em Pelotas e o Polo Naval de Rio Grande. Trata-se de dois espaços marcados pela homossociabilidade masculina, o que, segundo a literatura especializada, se caracteriza como relações de sociabilidade exclusivas entre homens a partir das quais se constitui o alicerce do vínculo entre homens saturado de poder em sociedades marcadas pela dominação simbólica dos homens sobre as mulheres. Considera-se que o gênero é uma construção relacional, ou seja, a masculinidade apenas se define em relação à feminilidade. No entanto, distanciando-nos dos estudos de gênero que não levam em conta as relações com as outras esferas do social, buscamos compreendê-las neste projeto interseccionando-as com as relações de classe e "raça" da sociedade brasileira do período definido. Visa-se contrastar a construção da masculinidade em dois espaços racializados e marcados por critérios de classe opostos, sendo o Café Aquários caracterizado pela presença dominante de homens brancos e o Polo Naval caracterizado pela presença significativa de homens negros e das classes populares. Na medida em que ambos os espaços passam a ser ocupados também por mulheres, com as mudanças contemporâneas das relações de gênero, a pesquisa busca investigar de que modo tais sociabilidades se reproduzem e se transformam, bem como as ambiguidades presentes na forma como os antigos e novos sujeitos percebem tais espaços e as relações constitutivas destes. A partir de perspectivas feminista e pós-colonial, visa-se investigar de que modo relações próprias ao mundo do trabalho e do lazer, ambos perpassados por aspectos econômicos e políticos são atravessados por determinações que envolvem de forma imbricada questões de gênero, raça e classe social..

Período: 2015 - Atual
Integrantes: Marcus Vinicius Spolle - Coordenador / Fernando Figueiredo Balieiro - Integrante.

Descrição: Esse projeto visa esboçar uma análise das percepções que envolve a construção do conhecimento acadêmico vinculado ao desenvolvimento econômico do Rio Grande do Sul para compreender as relações entre a ciência e a realidade econômica da região. A princípio, o mapeamento das principais teorias explicativas da realidade econômica dessa região aponta a teoria do contraste ?metade-norte? e ?metade-sul? como a principal teoria histórica que explica o atual desenvolvimento econômico do Rio Grande do Sul. Essa teoria sustenta a tese que distingue a ?metade-sul? como atrasada pois, historicamente, foi marcada pela grande propriedade, pelo latifúndio, e por um conservadorismo que inibiu o desenvolvimento de um ?espírito empreendedor?, o qual figura como forte característica da ?metade-norte?, que registra um passado marcado pela pequena propriedade, pela economia de subsistência, etc. Essa teoria revela as características do passado de colonização do início do século XX e, que sem dúvida, ainda reflete na realidade sócio-política da região. Entretanto, esse projeto busca problematizar como essa teoria ganhou dimensões que extrapolam o ambiente acadêmico e tornaram-se explicações recorrentes do senso comum do gaúcho. Deste modo, pretende-se relacionar o impacto da teoria, em especial, advinda do campo acadêmico da geografia, com a formação de um ?mito? econômico do contraste entre as metades do Rio Grande do Sul, que hoje parecem (subjetivamente) atuar como alimentadora de mitos econômicos locais que podem (na prática) atravancar o ?real? desenvolvimento econômico de uma região. Mais precisamente, desejamos buscar novas possibilidades heurísticas para refletir sobre o desenvolvimento econômico gaúcho e as novas formas de organizações e poder emergidas no atual cenário político-econômico da região, não contaminadas pelo conhecimento científico tradicional..

Período: 2014 - Atual
Integrantes: Marcus Vinicius Spolle - Coordenador / Elaine da Silveira Leite - Integrante.

Descrição: O presente projeto de pesquisa pretende avaliar a variabilidade regional dos Programas de Aquisição de Alimentos (PAA) e Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) no Brasil, tomando como estudo de caso a porção sul do Rio Grande do Sul. Como problema de pesquisa, o estudo pretende identificar os diferentes níveis de efetividade das políticas em escala nacional, tendo como segundo enfoque o entendimento dos fatores responsáveis por tais diferenças, tanto em sua dimensão infraestrutural quanto do ponto de vista das relações sociais e do arcabouço institucional. O estudo propõe duas escalas analíticas com dois enfoques complementares. Em nível nacional, a abordagem às estatísticas dos programas, para todos os estados brasileiros, objetivando uma visão macroscópica dos programas. Um refinamento da análise será realizado a partir de um estudo de caso. A área de estudo selecionada para essa etapa será composta pelos municípios de Rio Grande, Pelotas, Santa Vitória do Palmar, São José do Norte, Capão do Leão e Arroio do Padre. Como fundamentação teórica, a pesquisa se baseia nos estudos locacionais preconizados pela teoria dos anéis agrários de Von Thünen e estudos posteriores. O papel do território, como realidade socialmente construída e permeada por instituições representa a segunda dimensão conceitual a ser abordada como suporte teórico ao projeto. A pesquisa será executada a partir da utilização de bancos de dados sobre as políticas em questão, articulados a fontes de dados oficiais de natureza econômica e estatística. Pesquisas de campo serão realizadas com o intuito de obter informações com os atores envolvidos na implementação dos programas em estudo, a saber, gestores públicos ligados à agricultura, assistência social e gestão escolar, bem como agricultores familiares, seus representantes e entidades de assistência técnica. Tanto as variáveis exploradas ao longo do estudo, quanto os resultados obtidos serão representados espacialmente utilizando técnicas de geoprocessamento e banco de dados, obtendo como resultado produtos cartográficos temáticos. Os dados obtidos através das entrevistas de campo serão analisados através de metodologia qualitativa, denominada análise de conteúdo. .

Período: 2015 - Atual
Integrantes: Jefferson Rodrigues dos Santos - Coordenador / João Augusto de Carvalho Ferreira - Integrante.
Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.

Descrição: Através deste projeto, pretende-se investigar as transformações sociais e econômicas na chamada Zona Sul do Estado do Rio Grande do Sul e seu impacto sobre a questão do emprego e das desigualdades sociais, bem como as representações, práticas e discursos dos diversos atores sociais envolvidos nas ações e projetos visando o desenvolvimento da região. Pretende-se, ainda, investigar as políticas públicas relativas à questão do emprego e do desenvolvimento, identificando o modo como esses fenômenos são construídos e categorizados nos discursos oficiais. Como meta, pretende-se consolidar um banco de dados sobre emprego e desenvolvimento, formatando e implementando o Observatório Social do Trabalho e do Desenvolvimento, estruturado junto ao Instituto de Sociologia e Política da Universidade Federal de Pelotas..


Período: 2011 - Atual
Integrantes: Francisco Eduardo Beckenkamp Vargas - Coordenador.

Descrição: Projeto de pós-doutorado orientado pela Profª Drª María Dolors García Ramón, catedrática do Departamento de Geografia da Universitat Autònoma de Barcelona ? UAB (Espanha). A pesquisa objetiva elaborar um quadro comparativo entre Brasil e Espanha sobre a situação das trabalhadoras nas fábricas de preservação e fabricação de produtos de pescado. Parto da premissa de que a atividade está marcada pela posição que as mulheres ainda ocupam na sociedade patriarcal, produzindo uma divisão sexual do trabalho oriunda das relações de gênero. O objetivo principal da pesquisa é, através da comparação entre os dois países, compreender a situação das trabalhadoras na divisão sexual do trabalho e identificar as estratégias de resistência e emancipação. Para tanto, opto pela metodologia qualitativa sob a perspectiva da Geografia feminista. A operacionalização se constitui na análise/reflexão através das seguintes categorias: família, divisão sexual do trabalho, precarização laboral e autonomia/empoderamento. Em pesquisa já realizada em 2008-2010 demonstro que no município do Rio Grande no sul do Rio Grande do Sul as trabalhadoras da indústria de pescado ainda estão submetidas à formas de exploração que podem ser entendidas a partir das relações de gênero. Tanto em relação aos postos de trabalho submetidos a chefias masculinas, como na realização de tarefas ligadas ao lugar das mulheres no espaço produtivo e no reprodutivo. Traçar um quadro comparativo com as trabalhadoras da Espanha a partir da perspectiva feminista justifica-se como uma contribuição para o empoderamento destas trabalhadoras e insere-se nos objetivos do II Plano Nacional de Políticas para as Mulheres..

Período: 2012 - Atual
Integrantes: Susana Maria Veleda da Silva - Coordenador.

Descrição: A Aglomeração Urbana do Sul é formada pelos municípios de Arroio do Padre, Capão do Leão, Pelotas, Rio Grande e São José do Norte. Alguns destes municípios possuem forte tradição industrial e de serviços, como é o caso de Pelotas e Rio Grande, os demais possuem alguma similaridade na sua função ou apenas compartilham da proximidade espacial dos dois centros maiores (Pelotas e Rio Grande). Sabe-se que na segunda metade da década de 2000 o município do Rio Grande recebeu investimentos privados e da União para a implantação de um Polo Naval, que trouxe nova dinâmica espacial através dos impactos econômicos, sociais e imobiliários para a população citadina. Além do Rio Grande no ano de 2013 foram iniciadas obras para a instalação de um estaleiro no município vizinho, São José do Norte, que usufrui do mesmo canal de entrada que liga o Oceano Atlântico à Laguna dos Patos. Empreendimentos desta magnitude não trazem somente impactos locais, mas influenciam também os municípios vizinhos que contribuem com o setor naval, empresas e mão de obra, ou que simplesmente sofrem os reflexos desse processo. Neste contexto, o objetivo deste projeto é identificar estes impactos em termos comparativos em relação aos mercados imobiliários citadinos na AUSUL, acréscimo populacional e reflexos socioeconômicos que modificam a espacialidade e a dinâmica intra-urbana nas duas últimas décadas nestes municípios. Entre os anos de 2013 a 2015 tais impactos foram analisados na cidade do Rio Grande, pretende-se a partir de agora verificar as transformações nos demais municípios da AUSUL, começando por São José do Norte..


Período: 2015 - Atual
Integrantes: Solismar Fraga Martins - Coordenador / Bianca Reis Ramos - Integrante / Maristel Coelho San Martin - Integrante.

Descrição: A cidade do Rio Grande sempre se caracterizou por uma industrialização pregressa, já que dispõe de um parque industrial importante desde o século XIX e ao mesmo tempo pela instabilidade do seu parque industrial em termos de resultados sociais e espaciais para a cidade. Tal inconstância em sua economia fabril trouxe alguns resultados desastrosos para a cidade, sob as transformações ocorridas na economia nacional e aliadas a incapacidade do empresariado citadino de se adaptar as novas regras da economia brasileira e internacional. Esse ciclo de desenvolvimento e estagnação sempre trouxe consigo o acréscimo populacional e consequentemente resultantes espaciais, já que essa população necessitava além de moradia satisfazer as suas necessidades básicas na cidade no qual se instalava. Essa oscilação econômica resultou num mosaico arquitetônico urbano industrial bastante peculiar em termos de Brasil, principalmente para o centro-sul. Esse projeto visa identificar os impactos em termos comparativos em relação ao mercado imobiliário citadino nas duas últimas décadas, sendo que a década de 1990 foi caracterizada pela continuidade de estagnação econômica que a cidade vinha desde a metade da década de 1980 e a década de 2000 representada pelos impactos da instalação do Pólo Naval na cidade e os resultados espaciais que isso tem significado para a cidade..


Período: 2013 - 2015
Integrantes: Solismar Fraga Martins - Coordenador / Ruth Costa Oliveira - Integrante / Bianca Reis Ramos - Integrante / Perla Duarte do Couto - Integrante.
Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.Número de orientações: 1

Descrição: A meados do século XXI, a Aglomeração Urbana do Sul (AUSUL), localizada no Rio Grande do Sul passa, de região deprimida e desindustrializada, a ser palco de grandes investimentos públicos e privados, através do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e da reorganização da indústria naval brasileira que provocam uma mudança no mercado de trabalho, com demandas importantes para todos os setores da economia, particularmente setores da indústria de transformação, metalurgia e construção civil. Setores marcados pela segregação ocupacional por sexo e por cor. Assim, indagamos sobre o que significa esta nova conjuntura econômica para grupos ainda discriminados no mercado de trabalho urbano, como as mulheres e, particularmente, as mulheres negras? Grandes investimentos econômicos podem diminuir ou mesmo eliminar as desigualdades sociais e econômicas oriundas de relações de poder marcadamente machistas e racistas?A pesquisa tem como meta desenvolver propostas de ações afirmativas para dirimir as discriminações e as desigualdades socioeconômicas sofridas pelas trabalhadoras da AUSUL a partir da sua inserção em postos de trabalhos formais e melhor remunerados. A metodologia da pesquisa prevê dois momentos: 1) um diagnóstico quantitativo e qualitativo sobre o mundo do trabalho urbano, remunerado e formal, considerando as relações de gênero e as abordagens feministas, em suas interseccionalidades com classe social, geração e raça/etnia; 2) a elaboração de propostas de ações afirmativas fundamentadas no diagnóstico, considerando a participação dos múltiplos agentes envolvidos...


Período: 2013 - Atual
Integrantes: Susana Veleda da Silva - Coordenador / Solismar Fraga Martins - Integrante / Luciano Marin Lucas - Integrante /  Marcus Vinicius Spolle - Integrante / Paulo Ricardo Salati de Souza - Integrante / Adriana Lessa - Integrante / Solismar Fraga Martins - Integr - Integrante.

Descrição: A indústria da pesca é importante fornecedora de alimentos saudáveis e possível indutora de diversas atividades econômicas como a produção de embarcações, equipamentos navais e industriais e sistemas tecnológicos para a detecção de estoques pesqueiros e a produção aquicola. No Brasil, é objeto de pesquisa de poucos estudiosos e no sul do país há importantes bases produtivas de matérias-primas, insumos e de pescado industrializado com a presença de empresas nacionais e de grupos internacionais. A pesquisa objetiva estudar as estratégias das empresas instaladas nos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul a partir dos diferentes usos do território na formação social brasileira..

Período: 2013 - Atual

Integrantes: Cesar Augusto Avila Martins - Coordenador / Carlos José Espíndola - Integrante / Jefferson Rodrigues dos Santos - Integrante / Paulo Ricardo Salati de Souza - Integrante / Luciano Marin Lucas - Integrante / Zeno Crocetti - Integrante / Edirlei Antunes Tavares - Integrante / Elisangela de Fellipe Silveira - Integrante / Ricardo Borges da Cunha - Integrante / Fabio Lopes de Oliveira - Integrante / João Batista Flores Teixeira - Integrante.
Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.

Descrição: A produção industrial com base em produtos da pesca é uma das últimas atividades econômicas dependente da extração de um recurso vivo: as diferentes espécies de pescado. O pescado é coletado em diversos ambientes naturais com as chamadas artes de pesca reguladas por normatizações estatais e interestatais com diferentes graus de capilaridade com os distintos agentes do setor. A indústria da pesca é importante fornecedora de alimentos que colaboram com dietas alimentares saudáveis. O consumo per capita de pescado no Brasil é aproximadamente a metade do indicado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Estado brasileiro realizou e realiza esforço para aumentar o consumo país. O objetivo com escala nacional será realizado à luz da dinâmica internacional que envolve a concorrência entre grupos internacionais e as regulações para as capturas, processamento e comercialização de diferentes espécies de pescado. As metas principais são: 1) desenvolver no campo da Geografia conceitos operacionais ao entendimento dos usos do território pelas empresas que industrializam pescado e da construção e da articulação entre as escalas espaciais; 2) criar banco de dados estatísticos, acompanhado de representação cartográfica produzida em meio digital, sobre a organização das empresas, em diferentes escalas espaciais. A análise do caso brasileiro deverá permitir tanto uma contribuição teórica mais ampla quanto uma caracterização dos usos do território no Brasil contemporâneo por empresas industriais num contexto de debate sobre as novas localizações das fábricas e de eventuais processos de desindustrialização..
Período:2014 - Atual
Integrantes: Cesar Augusto Avila Martins - Coordenador.
Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.

A cidade do Rio Grande sempre se caracterizou por uma industrialização pregressa, já que dispõe de um parque industrial importante desde o século XIX e ao mesmo tempo pela instabilidade do seu parque industrial em termos de resultados sociais e espaciais para a cidade. Tal inconstância em sua economia fabril trouxe alguns resultados desastrosos para a cidade, sob as transformações ocorridas na economia nacional e aliadas a incapacidade do empresariado citadino de se adaptar as novas regras da economia brasileira e internacional. Esse ciclo de desenvolvimento e estagnação sempre trouxe consigo o acréscimo populacional e consequentemente resultantes espaciais, já que essa população necessitava além de moradia satisfazer as suas necessidades básicas na cidade no qual se instalava. Essa oscilação econômica resultou num mosaico arquitetônico urbano industrial bastante peculiar em termos de Brasil, principalmente para o centro-sul. Esse projeto visa identificar os impactos em termos comparativos em relação ao mercado imobiliário citadino nas duas últimas décadas, sendo que a década de 1990 foi caracterizada pela continuidade de estagnação econômica que a cidade vinha desde a metade da década de 1980 e a década de 2000 representada pelos impactos da instalação do Pólo Naval na cidade e os resultados espaciais que isso tem significado para a cidade.

Responsável: Solismar Fraga Martins

Estudantes: Perla Couto e Ingrid Brayer Juliano

Período: 2010-2011

A década de 1990 e começo dos anos de 2000 são marcados pelas políticas de ajuste do Estado e dos programas de reestruturação produtiva das empresas no Brasil. Na segunda metade da primeira década dos anos de 2000, ocorrem iniciativas do Estado e de alguns agentes econômicos para novos usos do território nacional. Nosso projeto tem como objetivo central verificar algumas mudanças ocorridas no campo e na cidade dos municípios da Aglomeração Urbana do Sul (AUS). A pesquisa será centrada no quadrângulo terra-trabalho-empresa-capital imobiliário, no período 2004-2007. Analisar-se-á o território com sua gênese e transformações com as repercussões na estrutura fundiária e produtiva do campo da implementação do Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiel (PNPB), empresarial, do mercado de trabalho e na morfologia urbana da cidade. Analisaremos os impactos dos processos de reestruturação produtiva e tecnológica, bem como das políticas de ajuste estrutural na dinâmica e na organização intra-urbana da cidade. As principais mudanças ocorridas na organização dos setores agrícola, industrial e de comércio e serviços (número de empresas, número de empregados, mudanças gerenciais e de localização), no mercado de trabalho (formas e características da ocupação, trabalho formal, trabalho informal) e no mercado imobiliário (empreendedores, tipos e localização dos empreendimentos). Pretende-se também verificar as interconexões dos processos locais com os processos gerais de desenvolvimento econômico, bem como suas repercussões no desenvolvimento social dos municípios.

Período: 2008-2010

Coordenador: César Martins

Pesquisadores: Paulo Roberto Rodrigues Soares, Susana Maria Veleda Silva, Luiz Fernando Mazzini Fontoura e  Jefferson Rodrigues dos Santos

Estudantes de graduação: Edirlei Antunes Tavares,  Havyner Caetano e Saimon Lopes

Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)

A década de 1990 é considerada a das políticas de ajuste do Estado e dos programas de reestruturação produtiva das empresas no Brasil. Nosso projeto tem como objetivo central verificar as mudanças ocorridas no tripé empresa-trabalho-capital imobiliário, no período 1994-2003, no município do Rio Grande (RS), com suas repercussões na estrutura empresarial, do mercado de trabalho e na morfologia urbana da cidade. Analisaremos os impactos dos processos de reestruturação produtiva e tecnológica, bem como das políticas de ajuste estrutural na dinâmica e na organização intra-urbana da cidade. As principais mudanças ocorridas na organização dos setores industrial e de comércio e serviços (número de empresas, número de empregados, mudanças gerenciais e de localização), no mercado de trabalho (formas e características da ocupação, trabalho formal, trabalho informal) e no mercado imobiliário (empreendedores, tipos e localização dos empreendimentos) e na imagem urbana da cidade. Pretendemos também verificar as interconexões dos processos locais com os processos gerais de desenvolvimento econômico, bem como suas repercussões no desenvolvimento social do município.

Responsável: César Augusto Ávila Martins

Participação: Solismar Fraga Martins e Susana Veleda da Silva

Período: 2005-2007

O conceito de friches industrielles vem sendo cada vez mais utilizado como forma de analisar os espaços industriais produtivos outrora e que hoje não mais desempenham tal atividade representando “vazios industriais”. Isso significa para as cidades fabris do passado ou que não mais dispõe de fábricas na sua área urbana de ocupação intensiva, uma quantidade de grandes estruturas industriais abandonadas ou com uma funcionalidade diferente daquela para o qual foi concebida. Rio Grande como cidade industrial desde o final do século XIX e com uma história econômica marcada por avanços e retrocessos em sua economia fabril, representa um espaço significativo de análise para a existência das friches industrielles.

Responsável: Solismar Fraga Martins e Matheus Rodrigues de Oliveira

Estudantes: Thiago Soler e Natália Sá Brito

A pesquisa aborda uma temática relacionada às questões de gênero, trabalho e emancipação feminina e está inserida no projeto de pesquisa “Mudanças territoriais da estrutura empresarial, do trabalho e da morfologia urbana do município do Rio Grande”. Especificamente pretende analisar a situação das mulheres consideradas chefes de família no município de Rio Grande – RS.  Constatamos que a partir dos anos noventa novas formas de trabalho se intensificam, entre elas destacamos a feminização do trabalho e o conseqüente aumento de mulheres chefes de família.  O objeto da pesquisa são as mulheres chefes de família, com filhos e que voltaram a estudar, a fim de entendermos as mudanças que ocorrem tanto no mercado de trabalho, como nos arranjos familiares tradicionais.

Responsável: Susana Veleda da Silva

Projetos de Pesquisa

 

Indústria de pesca no Sul do Brasil: o uso do território por empresas de enlatamento e congelamento de pescado


Descrição: A indústria da pesca é importante fornecedora de alimentos saudáveis e possível indutora de diversas atividades econômicas como a produção de embarcações, equipamentos navais e industriais e sistemas tecnológicos para a detecção de estoques pesqueiros e a produção aquicola. No Brasil, é objeto de pesquisa de poucos estudiosos e no sul do país há importantes bases produtivas de matérias-primas, insumos e de pescado industrializado com a presença de empresas nacionais e de grupos internacionais. A pesquisa objetiva estudar as estratégias das empresas instaladas nos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul a partir dos diferentes usos do território na formação social brasileira..

Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico
Período: 2013 - Atual
Responsável: Cesar Augusto Avila Martins



Indústria da pesca e território no Brasil


Descrição: A produção industrial com base em produtos da pesca é uma das últimas atividades econômicas dependente da extração de um recurso vivo: as diferentes espécies de pescado. O pescado é coletado em diversos ambientes naturais com as chamadas artes de pesca reguladas por normatizações estatais e interestatais com diferentes graus de capilaridade com os distintos agentes do setor. A indústria da pesca é importante fornecedora de alimentos que colaboram com dietas alimentares saudáveis. O consumo per capita de pescado no Brasil é aproximadamente a metade do indicado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Estado brasileiro realizou e realiza esforço para aumentar o consumo país. O objetivo com escala nacional será realizado à luz da dinâmica internacional que envolve a concorrência entre grupos internacionais e as regulações para as capturas, processamento e comercialização de diferentes espécies de pescado. As metas principais são: 1) desenvolver no campo da Geografia conceitos operacionais ao entendimento dos usos do território pelas empresas que industrializam pescado e da construção e da articulação entre as escalas espaciais; 2) criar banco de dados estatísticos, acompanhado de representação cartográfica produzida em meio digital, sobre a organização das empresas, em diferentes escalas espaciais. A análise do caso brasileiro deverá permitir tanto uma contribuição teórica mais ampla quanto uma caracterização dos usos do território no Brasil contemporâneo por empresas industriais num contexto de debate sobre as novas localizações das fábricas e de eventuais processos de desindustrialização..

Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.
Período: 2014 - Atual
Responsável: Cesar Augusto Avila Martins


Observatório das Metrópoles: território, coesão social e governança democrática: Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Salvador, Recife, Fortaleza, Belém, Natal, Goiânia e Maringá (INCT/CNPq)


Descrição: O Observatório das Metrópoles é um grupo que funciona em rede, reunindo instituições e pesquisadores dos campos universitário, governamental e não-governamental. A equipe constituída no Observatório vem trabalhando há 17 anos, envolvendo 97 principais pesquisadores e 59 instituições de forma sistemática e articulada sobre os desafios metropolitanos colocados ao desenvolvimento nacional, tendo como referência a compreensão das mudanças das relações entre sociedade, economia, Estado e os territórios conformados pelas grandes aglomerações urbanas brasileiras. O Observatório das Metrópoles tem como uma das suas principais características reunir Programas de Pós-graduação em estágios distintos de consolidação, o que tem permitido virtuosa prática de cooperação e intercâmbio científico através da ampla circulação de práticas e experiências acadêmicas. Por outro lado, o Observatório das Metrópoles procura aliar suas atividades de pesquisa e ensino com a realização de atividades que contribuam para a atuação dos atores governamentais e da sociedade civil no campo das políticas públicas voltadas para esta área. Com o projeto, pretende-se, nos próximos cinco anos, dirigir as nossas atividades para a produção de conhecimento em torno de um conjunto de indagações: Desconcentração produtiva e novos arranjos espaciais metropolitanos? ; Continuidade do processo de fragmentação sócio-territorial das metrópoles? ; Quais são os impactos na estrutura interna das metrópoles decorrentes da ativação e re-configuração do mercado imobiliário? ; Quais os efeitos da atividade reguladora do uso e ocupação do solo na estruturação das metrópoles, decorrentes da obrigatoriedade dos Planos Diretores Municipais? Que impactos positivos e negativos estariam gerando na governança metropolitana? ; Quais os obstáculos ao processo em curso de diminuição das desigualdades sociais, decorrentes dos fenômenos de segregação e segmentação residencial vigentes nas metrópoles?.

 

Período: 2009 - Atual
Responsável: Paulo Roberto Rodrigues Soares


Impactos socioespaciais relacionados a megaeventos esportivos: a Copa do Mundo de 2014 na cidade-metrópole de Porto Alegre


Descrição: A pesquisa, realizada no âmbito do Observatório das Metrópoles, tem por objetivo a elaboração e aplicação de instrumentos de monitoramento dos impactos relacionados à Copa do Mundo de 2014 na estrutura urbano-metropolitana das metrópoles brasileiras sedes deste evento, para além dos tradicionais instrumentos de mensuração econômica, correntemente utilizados. O projeto pretende construir um banco de dados que permita o monitoramento e a avaliação das transformações físico-territoriais, sócio-econômicas, ambientais e simbólicas das cidades sedes e de suas áreas de influência. Pretende-se desenvolver ferramentas de acompanhamento, monitoramento e transferência de resultados da análise dos impactos da Copa do Mundo de 2014 nas cidades-sede brasileiras. Nossa análise específica será sobre a cidade e região metropolitana de Porto Alegre. Especial ênfase será dedicada à análise e avaliação distribuição dos benefícios e dos custos sociais nas diversas esferas que envolvem o processo de adequação das cidades e suas áreas de abrangência às exigências infraestruturais para a realização do evento, partindo-se de um ponto de vista comparativo em relação a experiências similares anteriores no plano mundial..

Financiador(es): Financiadora de Estudos e Projetos - Auxílio financeiro.
Período:2011 - Atual
Responsável: Paulo Roberto Rodrigues Soares


Produção do Espaço Urbano: impactos no mercado imobiliário dos municípios da AUSUL a partir da implantação do Polo Naval Gaúcho (2000/2015).


Descrição: A Aglomeração Urbana do Sul é formada pelos municípios de Arroio do Padre, Capão do Leão, Pelotas, Rio Grande e São José do Norte. Alguns destes municípios possuem forte tradição industrial e de serviços, como é o caso de Pelotas e Rio Grande, os demais possuem alguma similaridade na sua função ou apenas compartilham da proximidade espacial dos dois centros maiores (Pelotas e Rio Grande). Sabe-se que na segunda metade da década de 2000 o município do Rio Grande recebeu investimentos privados e da União para a implantação de um Polo Naval, que trouxe nova dinâmica espacial através dos impactos econômicos, sociais e imobiliários para a população citadina. Além do Rio Grande no ano de 2013 foram iniciadas obras para a instalação de um estaleiro no município vizinho, São José do Norte, que usufrui do mesmo canal de entrada que liga o Oceano Atlântico à Laguna dos Patos. Empreendimentos desta magnitude não trazem somente impactos locais, mas influenciam também os municípios vizinhos que contribuem com o setor naval, empresas e mão de obra, ou que simplesmente sofrem os reflexos desse processo. Neste contexto, o objetivo deste projeto é identificar estes impactos em termos comparativos em relação aos mercados imobiliários citadinos na AUSUL, acréscimo populacional e reflexos socioeconômicos que modificam a espacialidade e a dinâmica intra-urbana nas duas últimas décadas nestes municípios. Entre os anos de 2013 a 2015 tais impactos foram analisados na cidade do Rio Grande, pretende-se a partir de agora verificar as transformações nos demais municípios da AUSUL, começando por São José do Norte..

Período:2015 - Atual
Responsável: Solismar Fraga Martins




FRICHES INDUSTRIELLES NO EXTREMO SUL DO BRASIL: UMA ANÁLISE SOBRE O CASO DA CIDADE DO RIO GRANDE/RS.


Descrição: A pesquisa irá analisar as friches industrielles na cidade do Rio Grande através da identificação das antigas áreas industriais que remontam a segunda metade do Século XIX até as empresas instaladas na década de 1960. Tais medidas irão abranger a reestruturação desses espaços ociosos através da identificação e da caracterização atual, buscando identificar que novas funções poderiam ser atribuídas a cada estrutura fabril e que relação há entre cada friche e a cultura e identidade que circunvizinha tais áreas. O estudo pretende ser comparativo com outras friches industrielles, embora respeitando as particularidades presentes em cada unidade e ao local em que ela está inserida..

Período:2012 - Atual
Responsável: Solismar Fraga Martins



As mulheres trabalhadoras das fábricas de preservação e fabricação de produtos de pescado: um quadro comparativo entre Brasil e Espanha.


Descrição: Projeto de pós-doutorado orientado pela Profª Drª María Dolors García Ramón, catedrática do Departamento de Geografia da Universitat Autònoma de Barcelona UAB (Espanha). A pesquisa objetiva elaborar um quadro comparativo entre Brasil e Espanha sobre a situação das trabalhadoras nas fábricas de preservação e fabricação de produtos de pescado. Parto da premissa de que a atividade está marcada pela posição que as mulheres ainda ocupam na sociedade patriarcal, produzindo uma divisão sexual do trabalho oriunda das relações de gênero. O objetivo principal da pesquisa é, através da comparação entre os dois países, compreender a situação das trabalhadoras na divisão sexual do trabalho e identificar as estratégias de resistência e emancipação. Para tanto, opto pela metodologia qualitativa sob a perspectiva da Geografia feminista. A operacionalização se constitui na análise/reflexão através das seguintes categorias: família, divisão sexual do trabalho, precarização laboral e autonomia/empoderamento. Em pesquisa já realizada em 2008-2010 demonstro que no município do Rio Grande no sul do Rio Grande do Sul as trabalhadoras da indústria de pescado ainda estão submetidas à formas de exploração que podem ser entendidas a partir das relações de gênero. Tanto em relação aos postos de trabalho submetidos a chefias masculinas, como na realização de tarefas ligadas ao lugar das mulheres no espaço produtivo e no reprodutivo. Traçar um quadro comparativo com as trabalhadoras da Espanha a partir da perspectiva feminista justifica-se como uma contribuição para o empoderamento destas trabalhadoras e insere-se nos objetivos do II Plano Nacional de Políticas para as Mulheres..

Período: 2012 - Atual
Responsável: Susana Maria Veleda da Silva



O Trabalho Feminino na Aglomeração Urbana do Sul (AUSUL): diagnóstico e propostas de ações afirmativas no contexto de um mercado de trabalho emergente.

Descrição: A meados do século XXI, a Aglomeração Urbana do Sul (AUSUL), localizada no Rio Grande do Sul passa, de região deprimida e desindustrializada, a ser palco de grandes investimentos públicos e privados, através do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e da reorganização da indústria naval brasileira que provocam uma mudança no mercado de trabalho, com demandas importantes para todos os setores da economia, particularmente setores da indústria de transformação, metalurgia e construção civil. Setores marcados pela segregação ocupacional por sexo e por cor. Assim, indagamos sobre o que significa esta nova conjuntura econômica para grupos ainda discriminados no mercado de trabalho urbano, como as mulheres e, particularmente, as mulheres negras? Grandes investimentos econômicos podem diminuir ou mesmo eliminar as desigualdades sociais e econômicas oriundas de relações de poder marcadamente machistas e racistas?A pesquisa tem como meta desenvolver propostas de ações afirmativas para dirimir as discriminações e as desigualdades socioeconômicas sofridas pelas trabalhadoras da AUSUL a partir da sua inserção em postos de trabalhos formais e melhor remunerados. A metodologia da pesquisa prevê dois momentos: 1) um diagnóstico quantitativo e qualitativo sobre o mundo do trabalho urbano, remunerado e formal, considerando as relações de gênero e as abordagens feministas, em suas interseccionalidades com classe social, geração e raça/etnia; 2) a elaboração de propostas de ações afirmativas fundamentadas no diagnóstico, considerando a participação dos múltiplos agentes envolvidos..

Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico
Período: 2013 - Atual
Responsável: Susana Maria Veleda da Silva