Objetivos:
- Formar um grupo de pessoas em formação ou com formação em Geografia e ciências correlatas como a História e a Economia, interessadas em radicalizar o processo de conhecimento do conceito de território;
- Capacitar o grupo para estabelecer diálogos dentro e fora da disciplina através do conceito de território e seus entrelaçamentos com a Economia e a Política;
- Estudar obras escritas por geógrafos que ligam a Geografia e o conceito de território à economia e à política;
- Aprofundar estudos sobre a obra do geógrafo Milton Santos (1926-2001)
- Elaborar ensaios sobre o tema, que serão apresentados inicialmente ao Grupo e depois em eventos e/ou para conselhos editoriais de revistas científicas.
Metodologia:
- Reuniões quinzenais:
- Seleção de textos que ligam a Geografia à economia e a política, que apresentam como fio condutor o conceito de território;
- Tradução de textos em língua inglesa ou francesa;
- Estudo individual dos textos selecionados;
- Apresentação individual do texto escolhido;
- Análise e discussão de cada texto;
- Elaboração de sínteses das análises e discussões;
- Montagem de um banco de dados com o material produzido pelo grupo

Prazo: abril-dezembro de 2010

Responsáveis: César Augusto Ávila Martins - Coordenador/ Havyner Caetano - Bolsista

Os movimentos feministas ressurgem com força no mundo ocidental desenvolvido nos anos sessenta e setenta, junto com o florescimento de uma cultura contestatória, favorável a mobilização social de grupos até então marginalizados ou oprimidos.  Mudanças sócio-econômicas também favorecem a mobilização das mulheres, tais como a progressiva entrada de mulheres no mercado de trabalho e um avanço dos níveis de educação feminina, aliadas a mudanças demográficas como a crescente diminuição da taxa de fecundidade e o aumento da expectativa de vida das mulheres, reduzindo a proporção de seu ciclo de vida dedicado aos cuidados com a prole. 
Mas grande parte dessa efervescência intelectual tem origem datada. Na França, do pós- segunda guerra mundial, a publicação do revolucionário ensaio feminista "O segundo sexo" de Simone de BEAUVOIR (1949) provoca uma verdadeira comoção, pois pela primeira vez uma intelectual, através de uma pesquisa profunda tenta responder a pergunta: "o que significa ser mulher?" "A pessoa não nasce mulher, mas antes torna-se mulher", esta seria a frase mais famosa da obra e fundamenta, até os dias de hoje, muitos estudos feministas. Beauvoir era uma existencialista, portanto, não acreditava na "natureza humana".
O objetivo geral deste Projeto de Ensino consiste em formar um Grupo de Estudos sobre a contribuição dos estudos feministas às ciências sociais, particularmente a Geografia (Licenciatura e Bacharelado) e a História (Licenciatura e Bacharelado).
Os objetivos específicos são: a) estudar a contribuição do ensaio "O Segundo Sexo" – Vol. I e II (1949) de Simone de Beauvoir às questões feministas; b) estudar as obras feministas que tratam da contribuição de Simone de Beauvoir; c) relacionar as questões feministas com os estudos geográficos e históricos, tanto em teoria como em pesquisa.Em um primeiro momento o Grupo fará uma leitura conjunta dos dois volumes de "O Segundo Sexo".  Nesses encontros de leituras será também discutida e estudada a obra. No segundo momento o Grupo lerá obras pertinentes a contribuição de Beauvoir e obras relacionadas à Geografia e/ou História que tratam das questões de feminismo e gênero. E numa terceira etapa os/as acadêmicos elaboram um ensaio pertinente ao tema, relacionando-o com sua área de atuação que será apresentado ao Grupo.

Responsável: Susana Maria Veleda da Silva